segunda-feira, março 14, 2005

Seca em Portugal


Caros Portugueses:
vamos começar a sentir os efeitos da seca.
Há meses que não chove. Portugal encontra-se na pior seca dos últimos 14 anos.

Os produtos alimentares vão aumentar de preço.
Nos noticiários já anunciam que o preço da água potável pode duplicar.
Vão haver restrinções ao consumo de água, quem consumir água a mais pagará multa.
No Verão virá o calor, o ano 2005 será o mais quente de todos, dizem cientistas.
Temos ainda o risco de incêndios, infelizmente a maioria de origem criminal, e a água nos lagos escasseia, os níveis nas barragens podem ficar tão baixo, que muitas unidades agrícolas arriscam-se a não ter fornecimento de água, há animais a morrer de sede e fome, os preços dos legumes subiram, já viram o cenário que nos aguarda?
Para além da crise económica?

Falta de água poderá afectar 1 milhão de portugueses:
Se a seca durar até Junho, na zona Sul do País a população terá falta de água para consumo.
Concelhos alentejanos de Moura, Montemor-o-Novo, Mértola, Serpa, Almodôvar e o município de Portimão, no Algarve, são considerados os casos mais críticos

Soluções para o futuro:
Penso que uma solução seria utilizar água do Mar, e dessalinizá-la. ( des-salinizar, retirar o sal).
Há Países que fazem isso.
A ilha de Porto santo tem um sistema de dessalinização da água do Mar, através de osmose inversa, um processo de filtragem dos componentes, a água salgada entra em contacto com uma membrana selectiva que retém o cloreto de sódio, o sal, e deixa passar a água no seu estado puro
, mas os custos desse processo são elevados.

Sílvio

2 comentários:

Anónimo disse...

de facto portugal esta em maus lençois, esperemos que a situação melhore, não é silvio?
parabens pelo blog, complementa o site e o forum, parabéns mesmo.


Marcio b

Anónimo disse...

Eu acho isto seca a mais para ser natural!
Deve ser patifaria dos senhores do mundo e enquanto a tecnologia for secreta... é a natureza que leva com as culpas.
E destroem-se pessoas e civilizações com muitíssima eficiencia.