quarta-feira, setembro 21, 2005

Santíssima Fátima Felgueiras...

Realmente o povo gosta de ser enganado e roubado! Fátima Felgueiras fugiu para o Brasil porquê? Quem não deve não teme, fugir é mau sinal.
Agora voltou como se fosse um cristo ressurgido, e cheia de centenas de apoiantes.
Sinceramente, ainda há quem apoie ladrões, impressionante!
E vi-a na sic, a falar aos jornalistas, com a palma da mão aberta e braço erguido, um sinal claramente maçon… Cuidado.
Acho que ela se vai safar…

15 comentários:

Anónimo disse...

Eu estou é a desconfiar que ela não deve ser suficientemente corrupta para estes grandes patifes perversos a deixarem estar em paz como eles andam.
Eles aterram-se com gente honesta.
E os provincianos podem ser enganados pelos políticos mentirosos mas bem falantes de Lx mas pelos locais não se deixam enganar. E os mass media estão todos instrumetalizados.
Já não há imprensa livre em Pt.

Anónimo disse...

E mesmo possivel,depois de estar á frente de uma camara,com dezenas de processos em tribunal respeitantes a situaçoes duvidosas de roubo(no fundo e isso...)enquanto na mesma,fugir do pais ,da policia,voltar e um Juiz decidir que...nao ha risco de fuga,candidatar se novamente a um cargo autarquico com o "povao" todo a bater palmas...Batatoon para a presidencia,ja!Os que lá estao tem as piadas muito usadas e gastas.

silvio disse...

eu acho que se ela fosse inocente não fugia para o Brasil.
Lembram-se do pedofilo padre frederico? Pois esse fugiu para s.Paulo, e lá está, é padre de gays e lesbicas...

a Fátima Felgueiras deve querer candidatar-se para ter imunidade, será?
abraço

Anónimo disse...

Andam para aí a embarcar nas tricas políticas destes degenerados. Isto não passam de manobras de diversão. Os piores patifes estão aí todos contentes e bonacheirões.
Veja se isto lhe lembra alguma cooisa?
 In conclusion, the objective of economic research, as conducted by the magnates of capital
(banking) and the industries of commodities (goods) and services, is the establishment of an
economy which is totally predictable and manipulatable.

In order to achieve a totally predictable economy, the low-class elements of society must be
brought under total control, i.e., must be housebroken, trained, and assigned a yoke and
long-term social duties from a very early age, before they have an opportunity to question the
propriety of the matter. In order to achieve such conformity, the lower-class family unit must
be disintegrated by a process of increasing preoccupation of the parents and the establishment
of government-operated day-care cent ers for the occupationally orphaned children.

The quality of education given to the lower class must be of the poorest sort, so that the
moat of ignorance isolating the inferior class from the superior class is and remains
incomprehensible to the inferior class. With such an initial handicap, even bright lower class
individuals have little if any hope of extricating themselves from their assigned lot in life.
This form of slavery is essential to maintain some measure of social order, peace, and
tranquillity for the ruling upper class.

Tão a ver para que serve andarem a sacrifaicar-se tanto para pagarem os estudos aos filhos: para os estupidificar. Mais valia deixa-los com os avós!

jamudei disse...

Silvio! tál conmo vc. eu tambem acho que quem não deve não teme,mas... por acaso e só por acaso esta "inocente" senhora até tem dupla nacionalidade!
O texto abaixo foi "roubado" no blog 'PROPRIEDADE PRIVADA'
Um abraço do Velho.


A solução final!...

José estava farto da vida!
Um dia resolveu enforcar-se numa árvore. Esta, estava tão seca, que o ramo quebrou.
Depois, José atirou-se para a frente de um camião. Nada. Travou a tempo!
Tentou com uma pistola. Encravou.
Pediu ajuda a um amigo. Este, recusou.
Experimentou com veneno. Estava fora do prazo, ganhou uma valente dor de barriga.
Estava desesperado! Tinha de encontrar uma solução infalível.
Ligou a televisão, estava a começar o noticiário. Foi aí que viu a escuridão ao fim do túnel. Era isso! Não ia falhar!
Saiu, entrou no automóvel, e conduziu em direcção ao norte.
Ao fim de algum tempo, chegou ao seu destino final. Na praça central de Felgueiras a agitação era geral. José foi-se entranhando na multidão. Quando estava bem no centro, gritou com toda a força que lhe restava : QUERO QUE A FÁTIMA SE FODA!!!

O enterro é amanhã, às 15.30, na igreja do Bonfim.

Anónimo disse...

God bless América e o SIS!
O SIS anda pelos blogs não alinhados com cavalos de troia.

Ainda são mais maltratados do que nós, os elementos do SIS.
A Fátinha é só algo que serve de manobra de diversão. Os piores estão repimpados em S. Bento e locais afins.

Já o Eça escrevia que estávamos nas mãos dos agiotas. Agora só eles financiam os programas tontos e alienantes da tv.

E o pai do presidente Kennedy dizia que quem tinha vencido a 2ª guerra tinham sido os judeus.

Os muçulmanos não cobram juros.
Porque será hoje a demonização desta religião?

Anónimo disse...

Indispensável é frequentar este blog paralelamente a este aqui. Ponha já nos seus favoritos:
http://saberaverdade.blogspot.com/

Anónimo disse...

http://www.archive.org/details/MoneyMasters
visite e aprenda.

Anónimo disse...

Descobri agora que a FF tem um blog!
http://fatima-felgueiras.blogspot.com/
Onde não diz grande coisa como convém a qualquer político. E escreve poutuguês duma forma muito bizarra.

silvio disse...

obrigado "jamudei", bela piada, e retrata a verdade! acredito que a multidão em furia, histeria colectiva em adoração á sua deusa felgueiras, matassem mesmo o desgraçado!

-----------------------------

Obrigado anonymous, pelos links.
Não me admira o blog da fatima, agora todos os politicos têm blogs,
só porque é moda.
Enquanto pessoas como nós temos blog para transmitir informação, eles têm porque é moda.
Os telejornais e revistas de internet falaram imenso da moda dos blogs, dando ainda mais ênfase ao tema.
Agora todos os políticos têm o seu blog, será raro encontrar um que não tenha.

Eles na maioria dos casos nem escrevem no blog, não têm tempo, mandam alguém do partido deles, escrever...

Anónimo disse...

Olá Silvio
Já há algum tempo que não escrevo nada mas agora esta situação deveras assombrou-me ;estou estupfacto,tal como o Sivio diz eu tambem já acho que se vai safar .
Que pais este!!!!
Antonio catela

Maria Afonso Sancho disse...

Obrigada pelas dicas, Silvio!

Consegui pôr o contador no meu blog com a tua ajuda.
Dá uma volta por lá e comenta, por favor. Hoje escrevi dois post divertidos.

Anónimo disse...

Todos sabemos melhor que ninguém que estes sobreviventes da Casa Pia falam só a verdade destes senhores importantes.
As leis nunca foram para ser obedecidas pela classe dominante. São estes quem as faz.
E deixam-nas cheias de buracos para que podem ser usados; mas só pela máfia de advogados da classe superior.

O que me custa mais nisto tudo é que chamem continuamente prostitutos aos sobreviventes de abusos sexuais continuados.
Mesmo os prostitutos e prostitutas são humanos. Com direitos.

Quem exerce a prostituição é uma pessoa que sente e sofre por estar a ser tão aviltado pelos clientes e não só.
Não é um objecto para com ele se fazer tudo o que o cliente decide.

Todos os clientes de prostitutos/as são violadores!

Pagar-lhes não lhes dá o direito de magoar tanto outra pessoa.
São violadores e como tal devem ser tratados.
Quem usa os serviços de prostitutos/as é um ser mau e abjecto.
Deve ser isolado das pessoas de bem!

E o comportamento típico deles é devido aos constantes abusos que sofreram.
E se mentem... os pedófilos mentem muito melhor que todos os outros seres humanos.

Quem acredita na reencarnação diz que numa vida anterior os clientes de prostitutos/as se tornam numa vida seguinte: prostitutos/as.
E quem fez vista grossa ao sofrimento dos outros vai ser pai ou mãe de crianças as quais não vai conseguir proteger, apesar de todos os esforços.
Será?
Eu gosto desta ideia.
Só se sobrevive neste caos acreditando que a justiça de Deus é perfeita.
Mago branco

Anónimo disse...

Mais um post magnífico da Merodech, que merece que visitemos sempre o seu blog:

http://saberaverdade.blogspot.com/

É de facto imoral todos os bancos portugueses apresentarem lucros astronómicos, de mais de 40%, num tempo em que todos os outros negócios se ressentem de uma crise sem fim à vista, e ainda por cima quase unicamente à custa do forte comissionamento sobre os seus clientes, pois a concessão de crédito está a diminuir. Já não existem operações bancárias gratuitas, e até a mera impressão de um simples livro de cheques pode custar 15 a 20 euros, existindo até bancos que cobram uma comissão por cada prestação da casa cobrada. No fundo, os bancos limitam-se a retirar indiscriminadamente dinheiro da conta dos seus clientes, até eventualmente, os clientes já não suportarem mais. E este é um ciclo inquebrável pois quando alguém tenta saír deste sistema de roubo descarado, não colocando o dinheiro no banco, é penalizado pois não poderá comprar casa, por exemplo, por não ter histórico bancário.
Sabemos que uma pequena empresa, vivia muitas vezes de operações bancárias de curto prazo, pois só com esse pequeno crédito podia aproveitar oportunidades de economia em escala com os seus fornecedores e competir assim com as grandes superficies. Acontece, que de um dia para o outro literalmente, este circuito foi quebrado pelos bancos, reduzindo a zero o crédito que estes pequenos empresários usavam, sem aviso prévio, mesmo a clientes sem quaisquer incidentes anteriores. Esta decisão em jeito de cartel, serviu como terapia de choque para os micro-empresários, que lhes retirou capacidade argumentativa pois todos levaram pela mesma bitola. Quem ficou a arder foram sempre os mesmos é claro, milhares de empresários que pautavam a sua vida pelo cumprimento das suas responsabilidades, viram-se com problemas bancários de um dia para o outro, com cheques devolvidos sem aviso, coisa impensável anteriormente. Esta cultura de rigidez bancária foi conseguida à custa dos micro-empresários e dos seus fornecedores que foram obrigados a substituir os bancos na concessão de crédito, fiando aos clientes dos bancos que se viram nesta situação. Assistiu-se a uma onda de falências, pois o capital foi retirado do circuito produtivo por uma das partes sem apelo nem agravo. Ou seja, a crise de consumo de crédito, tão fomentada pelos bancos foi paga pela sociedade civil e pelos negócios da classe média, os bancos viciaram o jogo e depois retiraram-se do mesmo quando os ganhos já tinham sido enormes. Alem do mais, o jogo ficou definitivamente perdido para os pequenos empresários que ficaram com o seu nome manchado nessa altura e por conseguinte vedada a concessão de crédito, nunca se tendo recomposto desde então. Desde então, a única forma de crédito de apoio à tesouraria concedida pelos bancos são livranças ou crédito pessoal, nunca para a empresa, para colocarem o património do cliente envolvido. Estas formas de crédito são extremamente penosas para os contraentes, com taxas de juro absurdamente altas e nunca acreditando na viabilidade da empresa. Perdeu-se assim a funçao primordial dos bancos que era o apoio à criação de riqueza, emprestando a quem não tinha para iniciar um negócio próprio, gerar empregos, etc. Foi desta função social que os bancos se tentaram afastar ao responder ao Presidente da República que essa função era exclusivo das empresas de capital de risco, nada mais errado.
Assistimos à completa demissão de responsabilidades na crise por parte dos maiores causadores da mesma, transm

silvio disse...

Isso da prostituição é complexo.
há pessoas ruins e crueis, que abusam e maltratam as prostitutas(os), e hás pedofilos e gays, etc...nesse meio.

Há ainda as prostitutas finas, em casas de luxo, que recebem milhares de euros e gostam dessa vida, vi reportagens na sic há anos. Elas não queriam deixar essa vida, porque podiam comprar tudo, casacos de peles, bons carros, etc.

Há ainda as prostitutas que precisam de $, mas perdem-se, são as pobres, o pouco que ganham $ vão gastar em droga, isso é uma vida que propaga doenças, etc, é mau para quem vai e para elas tb.

Há casos de pessoas que são carentes, pessoas que não conseguem encontrar parceiro(a), ou que se divorciaram etc, então recorrem ás prostituas(os) para satisfazer momentos de carencia, etc.

Nem tudo seria condenável, teria que tentar compreender-se os motivos de cada um..

Mas acho errado: aqueles que maltratam e abusam prostituas.
aqueles que são pedofilos.
aqueles que apanham doenças e depois pegam-nas ás esposas (ou esposos), etc.

PARECE que o governo vai querer lucrar $ com a prostituição, já se falava nisso, oficializar a coisa, com bordeis legalizados, e cobrar impostos.